• TRENDS & REPORTS

Lockdown 2.0



PENSÁMOS QUE ERA UM SPRINT MAS NA VERDADE É UMA MARATONA


Se estamos a voltar a viver o que já vivemos antes, devemos, como marcas, voltar a agir da mesma forma? Parece-nos que não. Claro que em alguns sentidos sim, mas afinal de contas as pessoas estão a reagir de forma diferente a esta nova fase do que parece ser uma maratona contra o vírus. Encontramo-nos de novo em lockdown, com o comércio e a restauração parados e com restrições de circulação ainda maiores. E, para surpresa de muitos, restrições sobre a propaganda promocional que afeta, em grande parte, o setor do retalho. Deixamos aqui algumas reflexões sobre atitudes que podem ajudar as marcas a encontrar o seu papel no momento atual e o seu caminho neste percurso que não tem sido menos que o maior desafio dos últimos tempos.


#1 VOLTE AO SEU CORE

É um bom momento para resgatar e trabalhar o “porquê” da sua marca. Trazer os valores ao de cima, e alinhar a cultura interna e externa para promover mudanças significativas de dentro para fora.


#2 NÃO SUBESTIME A NETWORK

Muitas vezes temos ideias ou o contexto pede-nos respostas que não conseguimos dar de imediato, muito menos sozinhos. A expressão “a união faz a força” nunca foi tão verdadeira quanto neste preciso momento e continua a ser uma forma de transformar as ideias no papel em concretizações reais. Colaborar é a chave para ultrapassar os desafios do momento.


#3 MAXIMIZE E SIMPLIFIQUE

Maximize a frequência e presença e simplifique a mensagem. Com o tema da pandemia a tomar 100% da atenção das pessoas, as marcas terão de ser ainda mais diretas, claras e concisas nas suas mensagens. Antes de criar determine os objetivos a serem atingidos e concentre os seus esforços no que se precisa realmente de dizer, de forma a que o consumidor retenha a sua mensagem.


#4 OTIMISTAS, MAS NEM TANTO

O otimismo exacerbado e o romantismo da quarentena da primeira vaga gerou uma legião de relapsos para as novas medidas de segurança. É tempo das marcas serem mais realistas e com os pés assentes na terra, para não criarem a falsa ilusão nem serem pessimistas.

Veja mais aqui!


#5 ASSUMA A RESPONSABILIDADE

As pessoas esperam que a presença das marcas vá para além do produto e das vendas. 68% consumidores à volta do mundo querem que as marcas passem mensagens mais que comerciais, e que se posicionem e opinem frente a temas sociais e políticos.

Veja mais aqui!


#6 ENTENDA COMO MUDARAM AS EXPECTATIVAS EM RELAÇÃO AO SEU SEGMENTO

Em tempos de crise, as pessoas tendem a mudar a relação com os segmentos, sendo que surgem novas prioridades. Se antes o chocolate lhe trazia um benefício de break, agora o papel dele é fazer com que se sinta melhor. Se a banca antes era sinónimo de melhorar a relação com o dinheiro, agora, mais que nunca, a integridade e os valores são centrais para a atividade comercial.

Veja mais aqui!


#7 TEAM BRANDING

Existe uma nova classe de líderes que considera que se deve colocar de parte a competição entre as marcas e negócios por um bem maior, e em vez disso colaborar lado a lado para fazer frente a temas sociais e ambientais.


#8 DEMONSTRE EMPATIA E UTILIDADE

Os consumidores procuram que as marcas possam colocar-se na posição das pessoas individualmente e entender o que elas realmente precisam, em vez de lhes dizer que ‘vai ficar tudo bem’. Devemos demonstrar o que as marcas podem fazer pelos portugueses, que utilidade podem ter nas suas vidas, e a que problema concreto podem dar resposta, de forma a facilitar diretamente um momento que já é complicado.


#lolanormajean #lockdown #relatorio